27/12/2013

Segundo Capítulo da Fic Interativa \(T∇T)/


ACCHI KOCCHI =^● ⋏ ●^=

E então, esse Natal? Espero que tenham tido um ótimo Natal... Eu tive \(^∀^)メ(^∀^)ノ
Bem, sem muitas demoras, vamos ao que interessa. 
Só uns avisinhos, antes: Tive uma explosão de criatividade agora porque vi Acchi Kocchi até ao fim, por isso escrevi tudo de uma vez; A resposta escolhida foi a A; Os personagens ainda não apareceram todos, mas calma, eles vão aparecer; O capítulo está muito grande, mas espero que gostem...
。*:★(´・ω・人・ω・`)。:゜★。

---------------------------------------------------------------------------------


- S-sim… Acho que seria ótimo conhecer pessoas novas… - Disse, entre espasmos de cabeça que me fizeram parecer uma tolinha.
- Vamos, então!
Ele agarrou-me no pulso e fomos andando. Não sei se é totalmente certo estar a confiar tanto num desconhecido. Se eu pudesse controlar os meus poderes de ler mentes à vontade, saberia as suas intenções. Acontece que, para além de não saber controlar, não me sentiria bem ao ouvir os pensamentos íntimos dos outros sem permissão. E mesmo com permissão…
Ainda com a mão a repousar no meu pulso, ele guiou-me até à sua casa – e esta casa ficava num beco sem saída, rodeada de algumas casas em cimento e de não muito bom aspeto. Apesar de tudo, era um espaço bem grande. Quando entramos, senti-me num ambiente estranhamente familiar. Não estava agitada, como estaria se fosse a casa de alguém que acabara de conhecer.
Mas esse era o caso, alguém que acabava de conhecer.
O chão era liso, uma imitação de madeira. Bonito e confortável, um bom chão para colocar os pés, sem dúvida.
- Vou-te mostrar a casa. Depois podes escolher o quarto em que vais dormir. Ainda hoje gostava de te apresentar a algumas pessoas… - Dizia o Daniel. A verdade é que, mesmo ele falando muito, eu pouco ou nada ouvia…
No primeiro andar haviam três divisões: Uma casa de Banho, uma cozinha e uma sala. Gostei muito da sala. Ficava num canto – adoro cantos – e era muito espaçosa, com dois sofás e uma TV bem grande. As paredes eram de um azul-escuro muito suave e o chão continuava liso. Reparei também num monte de consolas ao lado da TV, por cima de um móvel escuro. Havia também uma cómoda comprida num dos lados, a percorrer a parede, com várias fotografias com rostos que eu desconheço e estatuetas bastante artísticas.
No segundo andar, tinha três quartos e uma casa de banho. A casa de banho era escusado ele mostrar-me, então partimos para os quartos. O quarto dele era simples, com uma cama de solteiro no centro e um tapete à frente. Havia uma pequena varanda, onde caberiam umas três pessoas, no máximo. Não sei bem o que dizer… Mas é totalmente constrangedor estar sozinha num quarto com um rapaz. Enfim… Não sei porque é que estas coisas me passam pela cabeça. O Daniel é o primeiro rapaz mais ou menos da minha idade com que eu falo.
Estou confusa com os meus sentimentos.
Agora estou sentada na minha cama, depois de escolher um dos quartos. Eram os dois iguais, com pouca mobília e roupa de cama sem vida. Ainda vou dar um jeito neste quarto… Ah, escolhi o mais afastado do dele.
Toc Toc Toc
Tenho de ir abrir a porta. Mais logo continuo a escrever.
Horas Depois
Definitivamente, Salem é um manicómio em ponto grande. Um hospício daqueles com psicopatas horríveis. Não sei se me faço entender… Vai-me custar registar aqui por escrito esta tarde, mas vou fazê-lo. Um dia mais tarde, quando estiver descansada na minha casinha, vou-me rir muito ao ler isto. Não que haja motivos para rir… Bando de doidos.
- Kynareth, vamos sair.
- S-s-s-s-s-sair?! – Exaltei-me um pouco. Pouco, digo eu…
- Sim, vou apresentar-te alguns amigos. Não podes ficar por aqui se só me conheceres a mim!
 Depois de uma risadinha nervosa da minha parte, saímos de casa. A esta altura o sol estava num ponto ótimo, adoro o sol assim. Já tínhamos saído daquele beco onde mora o Daniel, e caminhávamos lado a lado naquela rua pouco agitada. Tinha cafés com guarda-sóis, cadeiras de muitas cores, palmeiras na beira da estrada e grades e muros a dividir a rua das habitações… Parecia tudo muito bem. A certa altura o Daniel fez uma chamada a combinar onde nos encontraríamos para ele apresentar o “sangue fresco”. Ew…
O sítio onde nos encontramos foi completamente ao lado das minhas expectativas: Um centro comercial longe da praia, onde o sol mal chegava.
- Chegamos. Agora é só encontra-los algures.
- Espera aí… Não lhes ligaste ainda há bocado a combinar um sítio? – Perguntei, claramente confusa.
- Liguei. E escolhemos este centro comercial, oras, mas agora temos de descobrir em que parte é que eles estão.
Percebi então que não valia a pena questionar este tipo de lógicas.
- Tenho de ir à casa de banho. Entretanto, procura-os, se faz favor. – Pediu ele.
OKAY, como é que se procura alguém que nem sequer fazemos ideia de como são? Dei umas voltas ainda perto do WC, e depois decidi perguntar se alguém tinha visto um grupo grande de monstros reunidos. Escolhi uma rapariga que me lembrou vagamente de Teen Titans… Tinha cabelo roxo e pele cinza e usava umas botas roxas. Era bonita e andava sozinha, sem parecer querer estar com alguém, mas preferia tentar falar com alguém assim do que com alguém que me deitasse ao chão com um toque ou que fosse mais fria que sei lá o quê.
- Olá… - Decidi tentar uma abordagem diferente e não lhe dar hipótese de fugir ou ignorar-me – Desculpa, estava à procura de um grupo de monstros, provavelmente reunidos nalgum sítio… Viste algo assim…? Sou a Kynareth.
- Sou a Hannah Ven – Por alguma razão, ela pareceu-me extremamente desconfortável – Não, não vi nada assim… Agora vou embora, não gosto que me perturbem assim!
Ela era bem irritadinha, mas no fundo não devia ser uma pessoa má. Independentemente disso, como já disse, aqui é tudo doido. Enquanto ia a andar de volta para a entrada da casa de banho para esperar pelo Daniel, reparei numa loja demasiado interessante. Lá dentro só tinha… PELUCHES! Peluches fofinhos, de todas as cores e tamanhos, e eu... Oh meu Deus, eu sou viciada em coisas fofinhas!!! Quando ia a correr para entrar na loja rapidinho, esbarrei-me na parte de vidro que continha a montra. Esbarrei-me e comecei a sangrar do nariz…
Ignorando esse facto, tateei até encontrar um puxador – estava com os olhos fechados – e entrei na loja.
- MOSTRE-ME O QUE TEM DE MAIS BARATO! – Berrei.
E então ali estava eu, em frente a uma moça que me olhava com espanto. Por favor, eu só estava com o nariz cheio de sangue, a mão na cara coberta de sangue e tinha os olhos fechados. E com um berro daqueles… Ah, nada de anormal.
- Estás bem? Ai, deixa-me colocar um curativo aí… - Começou ela.
Depois de colocar algodão no nariz – sempre sob o olhar desconfortável da rapariga que me ajudava. Acho que foi um incidente para esquecer, mas no fim ela ainda me ofereceu um peluche bonitinho… Um coelho do tamanho da minha cara, de corpo azul e uma cenoura na boca. E, no final, não gastei dinheiro…
Digamos que depois o Daniel encontrou-me e ficou ligeiramente irritado por eu ter desaparecido e ainda por cima causar problemas numa loja. Calei-o esfregando o coelho na cara dele.
- Já sei onde é que eles estão, vamos lá. Tenta não te perderes enquanto me segues… - Dizia ele.
Parámos então num salão de chá, onde tudo era estranho – desde as mesas forradas a veludo negro, às cadeiras em cilindro roxas e candeeiros daqueles dos filmes. Admito que fiquei surpresa com a escolha do lugar, mas mais tarde vim a perceber o motivo. E era muito escuro. Não havia luz natural, e a luz artificial era pouca. Quanto dinheiro não pagaria por uma lanterna…
 - Daniel, porque está tão escuro? – Perguntei.
- Bem…
Antes que ele consiga responder, fomos arrebatados por um som ao longe. Um som muito alto. Um som de … risos. Muitos risos. Gargalhadas, que eu diria arrancarem as tripas de alguém, se me perguntassem. E então fomos ao encontro desse barulho, onde estava, provavelmente, aquele grupo. E estavam mesmo lá. Muitos monstros, de todos os feitios, reunidos.
- Olá, pessoal! Esta é a Kynareth. Que comecem as apresentações! – E ele levantou os braços, como se desse início a uma corrida.
- Hoy, eu sou a Lailly Epaulet! Espero que nos demos beeeeeeeeeeeeeeem! – Ela era um dragão, assim como eu, mas de nenhum dos clãs que eu conheço, nota-se. Era ultra linda, com cabelo picado de cor azul-real claro, mechas douradas e a ponta dos cabelos também douradas, escamas brancas e olhos meio lilás. Usava roupas que, pelo que me pareceu, devem ser moda aqui na América.
- K-Kynareth aqui! Prazer. – Disse e sorri.
- Não acredito que não tenhas sobrenome! – Exclamou a Lailly, subitamente, desatando a rir, Já sei de onde vinham a maior parte das risadas.
- Bem… Kynareth Zenythar Dumisani Kiri Marika Lel Catalin Aaminah Fikkryia Gwenaelle Mellanie Evdokiya Ivanovna.
Estava toda a gente com uma aura negra, até mesmo aquelas que já a possuíam antes de eu chegar.
- É… parei de ouvir no “Kiri”. Vou chamar-te Kiri, sim? Sou a Lana!! – Ela tinha olhos azuis galáxia e cabelos da mesma cor, pele verde (brilhava um pouco, talvez por estarmos no escuro) e não tinha unhas. Não tinha unhas… Yey. Presumi que fosse um Alien.
- Prazer. – Disse. O sorriso dela tornou-se um pouco sádico, e ela veio sorrateiramente agarrar-me no cabelo, que estava preso num rabo de cavalo feito à pressa.
- Belo rabo-de-cavalo… Seria uma pena se alguém o cortasse… Hee, he he he!! – Juro que me assustei com esta mudança repentina.
Doidos… Doidos, doidos, doidos, doidos. Trauma, trauma, trauma.
Ao canto, vi um vulto que parecia solitário. Não fazia exatamente parte do grupo, mas eu quis ver se ao menos alguém batia bem da cabeça. Pois, como era de se esperar, enganei-me.
- Olá… Sou a Kynareth… e tu?
- Não devias falar assim com estranhos… O escuro não te assusta? – Tinha uma voz estranha, como se tivesse sofrido muito ao longo da vida. – Sou o Mason.
Era agoniante. Olhando de perto, percebíamos uma pele mais branca que leite e uma estrutura imensamente magra. Aquela timidez… Sem palavras. Não sei exatamente o que escrever, nem tenho previsões acerca do meu destino.
Como eu disse, isto é apenas um hospício.
- Novas pessoas, é sempre tão renovador!! Jhé Bonceler aqui!! – Quando me virei para ir ter com o Daniel, apareceu mais alguém…
Era morena e tinha os olhos e o cabelo coloridos, oque lhe dava um ar engraçado. Quando eu ia a dizer alguma coisa, surpreendi-me com o que me interrompeu.
- És a Kynareth, já sei. Já alguma vez te perguntaste porque somos como somos? Pois na verdade, eu queria saber o que fomos… RIMEI! – MORRI!
E depois começou um discurso enorme a filosofar sobre a nossa existência, a sua própria existência, e acabou sentada sobre os joelhos numa posição mega melodramática.
Eu não ouvi nada.
Quando ia a andar em frente, para discretamente fugir dali, olhei para o Daniel. E ele conversava com uma rapariga. Enchi as bochechas de ar, cerrei os punhos – e corei… - e fui ter com ele. Não entendo a minha própria reação, mas lá fui eu.
- Danie… - Não consegui acabar de dizer sequer o nome dele, pois num ato demasiado atrevido para o meu gosto, ele cruzou os braços na minha cabeça. Enquanto eu tentava dar saltinhos para ele me largar, o Daniel fazia força na minha cabeça e mantinha um sorriso inocente.
- Hahahaha, Daniel, coitada. Ela é tão pequenina e fofa, deixa-a. – Era uma rapariga com cabelos brancos com as mechas vermelhas/rosas, uma roupa azul escura acinzentada com amarelo e botas brancas com as pontas amarelas. Tinha uns óculos num só olho.
Enquanto me tentava libertar daquela torre – sim, torre, ele tem mais 40 centímetros que eu – ambos se riam.
- Eu sou a Injhi Trojan. Prazer em conhecer-te! – Dizia, entre risadas. – Mas Daniel, a sério, se queres assim tanto apertá-la, faz isso em casa. Agora vais ter oportunidade… E Kynareth, eu não confiava no rapaz, oh, oh.
- Injhi… Eu não tenho segundas intenções, já disse. – Respondeu.
- Eu… - Quando eu ia explodir de raiva, ele cortou-me com a voz imponente e afetada pelo riso.
- Nem terceiras, nem quartas, nem quintas, nem sextas!! Hahahahahaha!!!!!!!!
EU JURO QUE AINDA O MATO!!!! JURO!!! VOU QUEIMÁ-LO VIVO E OBRIGÁ-LO A COMER AS PRÓPRIAS ENTRANHAS!!!!! … Ainda bem que ao menos desabafei, aqui, no papel.
Quando me soltei, soprei fogo para o teto, como sinal da minha raiva. Soprei muito, o que quase abriu lá um buraco. Se não fosse alguém que me tivesse parado… Não sabia quem era, mas ela fez questão de se apresentar.
         - Sou a Jhasmyn Rots. Reparei que és um Dragão da Rocha, mas bem diferente de mim. Não penses que te ajudei, só não quero problemas! – Berrou na minha orelha.
         Um tipo diferente de Dragão das Rochas… Ela possuía cabelos brancos e uma pele como a minha, os olhos eram verdes e cristalinos e tinha um vestido comprido de renda.
         Permito-me acrescentar dizer que era antipática como sei lá o quê e, se pudesse, tê-la-ia queimado ali mesmo.
         Depois disso, o gerente do café veio chatear-nos. “Demasiado barulho! Ainda por cima quase fiquei sem teto! Fooora! Seus marginais.” Com a parte dos marginais até concordo, afinal estou no meio de um bando de abutres. Ainda não tinha conhecido toda a gente, mas estava irritada, e ainda por cima já não sabia do meu peluche. Saí porta fora daquele Centro Comercial e fui a correr para o beco onde mora o Daniel. Depois foi só esperar que ele chegasse e enfiar-me no quarto, como uma criança mimada.
Admito que não  tive a melhor atitude, mas enfim.
Fiquei aqui até agora a escrever, e a imaginar como vai ficar este quarto depois de eu lhe dar o meu próprio toque pessoal… Por vezes esqueço-me que não estou aqui por tanto tempo assim. Parece um sonho. Ou um pesadelo - depende do aspeto. Agora… o Daniel está a chamar-me do lado de lá da porta.
- Sim? – Pergunto.
- Senhorita, gostaria de vir jantar ao palácio real? – Hum? – Brincadeira, brincadeira. Não tenho nada para o jantar, vamos jantar fora. Queres… ou preferes ficar aí sozinha… solitária?
Agora ele até fingiu o barulho de uma pessoa a chorar. Os meus sentimentos estão confusos, e eu própria estou confusa. O que devo responder…? Poderia o Mason ser a minha salvação para agora? Ou devo aceitar o convite… Como aceitei outrora?
A – (Contar a Verdade) Daniel… ainda estou furiosa contigo… Mas… Acho que um jantar não me faria mal. (Abrir a porta e sorrir)
B – (Mentir) Depois do dia de hoje?! Não! Eu já tinha prometido algo com aquele rapaz que estava lá no café! Xau! (Sair pela janela e deixar o Daniel sozinho)


-------------------------------------------------------------------


Eu voto na A ♪ヽ( ⌒o⌒)人(⌒-⌒ )v ♪
Por favor, Kyniel é vida.
Vocês votam em qual? E-E


Comente com o Facebook:

26 comentários:

  1. RI MUITO E0E
    (principalmente quando ele disse que não tem "segundas intenções, nem terceiras, nem quartas, nem quintas" HUHEUEHUSDMSLAÇD.SA)
    Voto na A pq eu amo Kyniel u-u (até tatuei no meu pulso LOL)
    AH, FINALMENTE ESSE CAPÍTULO TUT

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esqueci de te dizer que em uma parte do quarto do Daniel tem uma escrivaninha, aonde tem o computador dele e alguns "apetrechos" para fazer vídeos e3e (webcam, headset, headfone, essas coisas)

      Excluir
    2. ~le eu esqueci de logar na outra conta ;-; eee

      Excluir
    3. Êoooooo Obrigada :D
      Também ri muito a escrever ><
      Okay, depois eu adiciono os detalhes do quarto dele *-*

      Excluir
  2. Amei o cap, *-* Voto na A, Amo Kyniel u3u' /Ayumi

    ResponderExcluir
  3. DIWAÇÃO *U*
    Posso me intrometer? Já me intrometendo, e se ela confundisse a Maddie e a Naty? Ia ser engraçado (ou não XD)
    Voto na A

    ResponderExcluir
  4. Adorei esse cap, o Mason apareceu aeeee.
    Bom eu tbm apoio Kyniel mais eu acho q ela deveria mentir para o Daniel falando q ia encontrar o Mason, pois tadinha ficou maluca no meio daquele povo kkk ei Lana ja vai corta o bblo da Kyn isso num pode naum. Bem Ana eu voto na B pq eu acho q o Mason precisa confiar em alquem e a Kyn conhecer alquem normal hehe, estou um pouco confuso mais meu voto é B pelo motivo a cima.
    Ps: gente eu apoio Kyniel total mais acho q a Kyn deve estar cansada de tanta loucura num dia só. Eu sei q eu serei o unico a votar no B mais faze oq né dei minha opiniao...
    Bjuss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hahaha, compreendo o voto >< Ela está doida mesmo.
      Muito obrigadaaaaaa <3

      Excluir
  5. Diwou mto gata eu acho q a Kynareth deveria sair com o Mason pelo mesmo motivo do Sérgio L pois ela deve ter pirado no meio desse povo todo e seria engrasado os dois lendo mentes hehe eu voto B.
    Ps: diwou na sociedade (eu li isso em algum lugar) hihihi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu Diwei na sociedade u-u
      Obrigada, ela pirou sim e_e'

      Excluir
  6. Que cap diwo *u*
    Lana diwando aê u-u
    Adorei a Lana chamando ela de Kiri *---* ~Le eu chamo ela também de Kiri,pra quem não sabe E-E
    Eu...eu não sei o que votar e-e
    Deixa com o povo u-u
    Beijos '3'

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada *W*
      É Kynareth Zenythar Dumisani Kiri Marika Lel Catalin Aaminah Fikkryia Gwenaelle Mellanie Evdokiya Ivanovna na zonaaaaa 8D Mas também pode ser Kiri.
      Pronto não votas e-e Obrigads mais uma vez :3

      Excluir
  7. KYNIEL AEHOOOOOOOOOOOOOOOOO
    QUERO LETRA A
    TA MTO DIWO MOSSA, TO ADORANDO

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. TEAM KYNIEEEEEEEEEL AHU3HU3HU3H3UH3U3U3H3U
      OBRIGADS GYVSUDHFIJVK <3

      Excluir
  8. KKKKKKKKKKKKKKKKKK,ISSO É LOUCURA,MUITO ENGRAÇADO,VOTO NO B.Se fosse eu ,eu já teria me queimado e teria virado cinzas.Bjos.

    Inessa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HU3HU3HU3U3 Obrigada *0*
      Eu também daria em doida... mas Kyniel forever!
      Voto contado :*

      Excluir
  9. COMO ASSIM B TA GANHANDO EU VOU TER Q COMENTAR EM ANONIMO :<

    ResponderExcluir
  10. Kyniel :3 voto na B. Ai ela sai com o Mason, o Dani fica com ciume, quando ela voltar.. rola um clima e eles se beijaooo :3
    *u* pensei alto hehe
    Diwou de maiiisss...
    Bjjss
    http://sweetgirlsbybrendha.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. *UUUUUUUUUUUUUUU*
      ADOREI A IDEIA! Obrigada *3*

      Excluir
    2. Kkkkk eu tbm amei, de nada ashuahsus
      Bjjs

      Excluir
  11. Votação Encerrada!

    A- 4
    B- 5

    '0' GEEENTE '0'
    Vou começar a escrever o/

    ResponderExcluir

Evite discussões, não queremos brigas nos comentários;
Críticas positivas serão muito bem-vindas!
Pedidos para ser postador serão ignorados ou excluídos;
E agradecemos pelo seu comentário!


Layout: Bia Rodrigues | Tecnologia do Blogger | All Rights Reserved ©